sexta-feira, setembro 09, 2005

O Admirável Mundo Novo



Uma das ideologias mais em voga nos últimos anos é aquela em que se acredita no fim das ideologias.

Nesta ideologia, vivemos numa concepção única de sociedade: a sociedade pós-capitalista, meritocrática, onde os agentes económicos e sociais tomam «boas e más decisões», tudo se ajusta em conformidade, e o Estado ainda vai sendo tolerado como um mal necessário.

Os partidos políticos abrigam um conjunto de parasitas que não têm nenhuma aptidão produtiva válida, pelo que o máximo que podem aspirar é viverem à conta dos contribuintes, num lugar de nomeação pública, ou mesmo como Deputados.

Nesta sociedade tecnocrático, não há uma linha de horizonte onde assentem as medidas políticas, onde elas estejam articuladas, onde elas tenham consistência e coerência. É um sistema binário.
Pelo contrário, o sector privado defende bem os seus interesses (se necessário dentro do Estado), na lógica da optimização.No final e no seu conjunto, todos beneficiarão.

Para quem vê o mundo desta forma, numa altura de crise, uma boa solução pode passar pelo aparecimento de um tecnocrata iluminado para por ordem no País.

Aliás já foi assim.
Há cerca de 75 anos.
A Bem da Nação.

7 Comentários:

Às 09 setembro, 2005 18:33 , Blogger Tonibler disse...

Foi assim à 75 anos e foi assim à 20. E será sempre assim quando, por razões ideológicas, se vá ao prato das pessoas. O tecnocrata iluminado não é uma boa solução, é a consequência inevitável de passar do objectivo pessoas para o objectivo abstracto de cumprimento de uma ideologia.
Tirando isto, tudo o que escreveu é uma descrição da realidade.

 
Às 09 setembro, 2005 18:59 , Blogger Pedro Sá disse...

Parece-me muito claramente que essa fase já passou.

É muito clara actualmente a diferença ideológica entre o PS e o PSD p.ex.

Essa conversa do "certo" e do "errado" é sempre a conversa da direita para mascarar ideias perigosamente liberais.

 
Às 09 setembro, 2005 19:01 , Anonymous David disse...

Inspirado, como sempre.

Agora essa história das consequências inevitáveis e de o tecnocrata iluminado ter como objectivo as pessoas...

A história do prato também é interessante. A Santa Casa também vai ao prato todas as semanas distribuindo em prémios metade do valor que "arrecada" e ninguem se queixa em onde gasta a outra metade.

Será uma coicidência com os 50% que nos tiram do prato ou uma consequência inevitável ?

 
Às 09 setembro, 2005 19:25 , Blogger Tonibler disse...

David:

Não disse isso. Disse que o tecnocrata iluminado é a consequência. Quando se prescide de tudo para que as coisas corram de feição ao prato e não aos grandes ideais. Porra, mas a história não vos diz isso?

 
Às 10 setembro, 2005 02:16 , Blogger Geosapiens disse...

...olha o Pedro Sá...como vais?
...essa da "Nação" é que é uma palavra que já passou...
...então como vais...e claro que me conheces...
...e olha que quero ficar na zona da Extrema Esquerda...mesmo não apoiando o Pedro Nuno...depois de o ter ofendido mereço esse direito...

 
Às 10 setembro, 2005 02:24 , Blogger Geosapiens disse...

opss...enganei-me não é o Pedro Sá...mas olha Mário o post é para ele...um abraço...

 
Às 10 setembro, 2005 02:27 , Blogger Geosapiens disse...

...já agora...bom post ou reflexão aquele(a) "A Propósito de Marx"...concordo com grande parte do mesmo...como não o posso comentar lá...fica aqui o elogio...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial