terça-feira, agosto 30, 2005

O suposto planeamento central do consumo

Não, BrainstormZ. A Deco talvez tenha dado exemplos menos felizes e a justificação mais absurda, mas tem razão no essencial.

Dando um exemplo prático. Se é justo que o que consumimos nos restaurantes onde almoçamos todos os dias o prato do dia a ?4 ou ?5 seja taxado a 5%, já não me parece que isso deva acontecer relativamente a outro tipo de restaurantes. Porque não há razões sociais que o justifiquem.

9 Comentários:

Às 30 agosto, 2005 09:37 , Blogger LA disse...

E como destingue entre esses restaurantes? Baseando-se no seu gosto pela culinária lá encontrada ou tomando como bitola o seu orçamento para almoços? E se a opinião dos seus vizinhos fôr diferente da sua?

 
Às 30 agosto, 2005 09:50 , Blogger Pedro Sá disse...

Ninguém disse que encontrar um critério seria fácil...

 
Às 30 agosto, 2005 11:07 , Anonymous Nuno disse...

Então e se um ricalhaço quiser comer uns belos jaquinzinhos com açorda na tasca do manel que só tem guardanapos de papel? Também é justo que esse pague 5% de IVA como o trolha das obras?

No limite, iriamos acabar a pedir a declaração de IRS a todos os clientes do restaurante e indexar o IVA a aplicar ao rendimento bruto descontado das deduções específicas referentes a despesade educação menos o índice..... SOCOOOOOORRRRO

É pá! não compliquem. O mercado há de arranjar forma de f&#@ o Estado de cada vez que este o tentar enganar.

 
Às 30 agosto, 2005 11:08 , Blogger Pedro Sá disse...

Isto basicamente o objectivo seria diferenciar os pratos do dia dos restantes...

 
Às 30 agosto, 2005 11:18 , Blogger Tonibler disse...

E todos os pratos passariam a ser pratos do dia...

Se os impostos fossem justos não teriam que ser impostos.

 
Às 30 agosto, 2005 19:20 , Anonymous luispedro disse...

E quem leva almoço de casa e aquece no micro-ondas da empresa não leva nada nada?

(Conheço muita gente que o faz. Porque motivos de dinheiro, normalmente.)

Não há uma solução única que deva ser apoiada pelo estado.

 
Às 31 agosto, 2005 00:22 , Blogger Pedro Sá disse...

Pela simples razão que não estão a adquirir um serviço.

 
Às 31 agosto, 2005 10:12 , Anonymous Anónimo disse...

Vê-se logo que não sabem quanto pagam de impostos. Os restaurante são taxados à taxa intermédia de 12%. Já estiveram com a taxa máxima há alguns anos (na altura 17%) mas baixaram-na com o pretexto da competitividade turística com Espanha. Na realidade os preços ao consumidor mantiveram-se na mesma.

José Manuel

 
Às 31 agosto, 2005 10:14 , Blogger Pedro Sá disse...

Obrigado pela correcção !

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial