quinta-feira, fevereiro 12, 2004

A insustentável leveza do Primeiro-Ministro

Agora o Governo e o Primeiro-Ministro querem ser polícias da saúde dos Portugueses. Qual Mao.

Entre outras, duas medidas propostas são verdadeiramente patéticas:

1. Limitar a venda e consumo de álcool nas universidades.

Para além de não se conhecerem desacatos nesses locais (ao contrário dos recintos desportivos, o que justifica a proibição), os universitários são maiores de idade, pelo que essa limitação é profundamente ridícula.

Mais. Tal medida só tem a consequência de aumentar o absentismo escolar, pois quem quer tomar bebidas alcoólicas facilmente se deslocará para fora do estabelecimento de ensino para o fazer...

2. Proibição de fumar nos locais de trabalho

Não é preciso ser bruxo para sabermos que logo à partida, e ao contrário do que acontece na Irlanda, tal medida nunca se aplicará a bares e restaurantes, sob pena de o Governo vir a enfrentar uma verdadeira revolução.

Em qualquer caso, é outra medida repleta de boas intenções que pode ter custos terríveis. A sua implementação terá terríveis consequências ao nível da produtividade no sector dos serviços. As pausas para tabaco serão mais que recorrentes...

Haja bom senso !


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial