sexta-feira, setembro 02, 2005

Bem pelo contrário...

Não, Paulo. Bem pelo contrário.

Então o que seria um candidato que não consubstanciaria pragmatismo estratégico ?

Mais. Estou certo de que Mário Soares toma a opção correcta. Não só porque é necessário um discurso de optimismo em tempos difíceis, mas também porque, cabendo ao Governo o rigor e a austeridade necessários e absolutamente prioritários, o Presidente da República terá a importantíssima função de lembrar a todos que a vida não passa só por aí.

É, portanto, uma diferença de papéis, e nada mais. Nada pode levar a pensar que Soares afectará minimamente o trabalho do Governo.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial