quarta-feira, agosto 31, 2005

Não...

Fernanda Câncio:

Vanguarda da civilização seria, isso sim, eliminar o casamento enquanto figura jurídica.

Aquilo que tem por base o amor (pelo menos é o que todos dizem) não deve ser causa de qualquer efeito jurídico. E não seria nada difícil adaptar o Código Civil a este facto.

5 Comentários:

Às 31 agosto, 2005 10:07 , Anonymous Anónimo disse...

A figura jurídica do casamento nasceu historicamente para selar alianças entre clãs e regular a transmissão da propriedade.
Nunca teve nada a ver com o amor, que é uma invenção do último século.

José Manuel

 
Às 31 agosto, 2005 10:14 , Blogger Pedro Sá disse...

Meu caro José Manuel:

1. O que é uma invenção do último século, o amor ou o casamento por amor ?

2. Em qualquer caso, a sua origem histórica não tem nada a ver com a realidade actual.

 
Às 31 agosto, 2005 17:59 , Anonymous Anónimo disse...

A ideia de que as pessoas deveriam sempre casar por amor é um mito criado no séc. XIX. A propria ideia de casamento oficial só se generalizou por pressão da Igreja a partir do Concílio de Trento.

José Manuel

 
Às 01 setembro, 2005 11:55 , Anonymous Anónimo disse...

Cala-te ímpio! Sobre ti se abaterão os castigos celestes pelas blasfémias que atiras ao ar!
O matrimónio é um sacramento com fundamento bíblico, é eterno, e não deve ser abastardado pelos libertinos que abundam neste mundo a papaguear o relativismo moral.
Ao que isto chegou!
Assim falou o Pastor!

 
Às 01 setembro, 2005 11:57 , Blogger Pedro Sá disse...

Mais uma razão para não descer ao nível de lei humana...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial