sexta-feira, agosto 19, 2005

Os Afectos na Política



Numa última página do «Público» desta semana, onde Vasco Pulido Valente costuma escrever a sua crónica, aparecia um artigo intitulado «Coscuvilhar é um antídoto contra a tristeza e a monotonia e faz bem à saúde».

Trata-se de estudo de duas jornalistas italianas que defende que:

«A coscuvilhice só traz benefícios à saúde: permite descarregar o stress, ajuda à integração social e faz bem à pele.»
É «um ritual social, melhora o humor e ainda relaxa os músculos do rosto.»
Permite «descarregar a agressividade de um modo saudável.»
É «um antídoto contra a tristeza e a monotonia»
«Tem o mesmo efeito consolador do que comer chocolate ? com a vantagem de que falar dos outros não engorda.»

Não sei qual o efeito que Vasco Pulido Valente experimenta diariamente no seu exercício escrito. O de hoje, «Ou à primeira ou nunca», vem defender que Mário Soares só ganhará as eleições numa 1ª volta e se for o candidato de toda a esquerda.
Se a opinião geral também fosse esta, não seria de admirar que VPV defendesse que «Ou à segunda ou nunca»...

Quem, de acordo com a dupla de jornalistas italianas, devem estar de excelente saúde são os agora 60 apoiantes de Manuel Alegre que se reuniram numa jantarada no Algarve.

O autor de «Cão Como Nós» referiu-se, no seu discurso, aos «donos da República», aos «candidatos providenciais» e aos «afectos na política».

Manuel Alegre passa uma imagem narcisista, cheia de ressentimentos, com uma mensagem cheia de desabafos e avisos, naquele estilo «a mim ninguém me cala!!», continuando a ignorar que uma candidatura presidencial é bastante mais do que uma birra entre amigos.

E nesta mesma semana, Mário Soares deu mais uma aula de política na «Sociedade Aberta» com António José Teixeira, mostrando que contra factos não há argumentos (ou, neste caso, contra argumentos destes não há factos políticos).

Manuel Alegre merecia melhor.

10 Comentários:

Às 19 agosto, 2005 20:57 , Anonymous elisiario figueiredo disse...

Mário Garcia

Também estou de acordo, Manuel Alegre merecia mesmo melhor, merecia o seu respeito, por exemplo, já que os dirigentes do PS não o respeitam ao menos que sejam os militantes a faze-lo.

Mário Soares deve muito a Manuel Alegre, os portugueses devem muito a Manuel Alegre, nos idos anos de 75, com um simples discurso, quando já Mário Soares se sentia perdido, Manuel Alegre deu a volta a uma situação para que fosse Mário Soares a tomar conta do leme do PS em detrimento de Manuel Serra.

Se não fosse Manuel Alegre o PS nas mãos de Manuel Serra teria sido engolido pelo PCP, o resto da história deixo à sua imaginação.

Outras histórias lhe poderia contar mas não ?cabem? neste espaço.

Cumprimentos

 
Às 19 agosto, 2005 21:08 , Anonymous b.. disse...

O problema caro Mario é que MA é efectivamente, hoje, um narciso.
MA nunca tinha assumido a possibilidade clara de candidatura, embora nunca a tenha rejeitado...é como que estava em banho Maria e só agora se sentiu tentado.
Mario Soares assumiu que estava a reflectir e mesmo sendo o "velhinho" assume o que esta a fazer e não faz como Cavaco, que é candidato sem o assumirnem como MA que queria ser mas embruhava.
Quanto ao espaço q Helena roseta se queixa que mario soares lhe tirou...fica a pergunta.
O que fez MA a Joao Soares quando este era a unica voz critica e assumida no PS. Quer ao SG Ferro Rodrigues e depois?
Joao Soares sempre se assumiu como candidato, mesmo antes da queda de Ferro e o que fez Alegre?nao foi roubar espaço?

 
Às 19 agosto, 2005 22:42 , Blogger Mario Garcia disse...

Caro Elisario Figueiredo,

Pessoalmente, tenho em maior consideração Manuel Alegre.
Aliás, assumi claramente o meu apoio a Alegre nas últimas eleições internas do PS (aqui neste blogue e na urna de voto.

Conheço igualmente algumas das histórias de Manuel Alegre, que se confundem com a própria história do PS.
Essa a que se refere, no Congresso do Manuel Serra, o próprio Manuel Alegre a refere amiúde.

Por tudo o que Manuel Alegre representa, mais me custa ver o papel que aceitou representar.

E se confirmarem as candidaturas de Mário Soares e Manuel Alegre, será como revisitar a candidatura de Salgado Zenha 20 anos depois.

Será que os grandes políticos que escreveram a história portuguesa com Mário Soares não conseguem aguentar o peso da sua sombra?

Atendendo

 
Às 19 agosto, 2005 23:18 , Anonymous elisiario figueiredo disse...

Mário Garcia

Penso que já o escrevi aqui, no entanto vou repetir.

Nada me move contra MS, antes pelo contrário, considero-o o pai da democracia portuguesa, foi, é, e será uma das grandes figuras da nossa democracia, um grande estadista, com tudo aquilo que este adjectivo acarreta de positivo.

No entanto, acho que existiu um comportamento por parte de Soares e Socrates pouco digno, todos nós sabíamos, uns apoiavam outros criticavam, mas, repito, todos nos sabíamos que Alegre se perfilava para ser candidato, ora, quando Soares pensou também em selo só tinha que fazer uma coisa, se não queria falar com Alegre, falava com Socrates de forma a que este tivesse uma conversa com Alegre no sentido de se retirar e ser o primeiro a apoiar Soares, por aquilo que conheço de Alegre quero acreditar que aceitava.

Cheira-me, e isto não passa de um pensamento meu dito em alto, que Sócrates viu aqui a sua chance de liquidar Alegre, e o pior é que possivelmente o vai conseguir.

Saudações Socialistas

 
Às 19 agosto, 2005 23:34 , Blogger Mario Garcia disse...

Então devem colocar-se algumas questões que ainda não vi ninguêm responder:

Manuel Alegre falou com José Sócrates antes de avançar com a sua candidatura?

E, atendendo ao que veio nos jornais sobre o facto de Jerónimo Sousa ter avisado Alegre sobre a possibilidade de Mário Soares avançar, por que razão não falou Manuel Alegre com Mário Soares antes de manifestar a sua disponibilidade?

 
Às 20 agosto, 2005 02:19 , Blogger Pedro Sá disse...

A questão é clara como a água.

Manuel Alegre não tem qualquer hipótese de ganhar as eleições presidenciais. E o PS quer ganhá-las. Se meia dúzia de românticos acham mais importante o candidato ser X vá-se lá saber porquê mesmo sabendo que é para perder do que um que possa ganhar, pergunto-me eu o que estão a fazer na política. É que sem poder não é possível servir !!!

Para além disso, quem não teve o apoio sequer de 20% do próprio partido para seu líder em que mundo é que tem condições para ser candidato às presidenciais ? Em lado nenhum.

Para além disso, Manuel Alegre seria perigosíssimo como Presidente da República. Já o estou a ver a vetar tudo o que considerasse ser "neoliberal". Se ele fosse o candidato do PS, disse-o e repito, só votaria nele por disciplina partidária. E não contassem comigo para fazer campanha.

E nem queiram saber o que me custaria meter o voto em alguém que disse "é um escândalo que as grandes figuras do Partido só tenham o mesmo tempo para falar no Congresso que os restantes militantes". Quem diz isto não é sequer democrata, quanto mais socialista.

Ah, e também não me esqueço que ele votou contra tirar da Constituição a irreversibilidade das nacionalizações em 1989 !!!!!

 
Às 20 agosto, 2005 04:18 , Blogger Mario Garcia disse...

Se calhar, essa de votar contra a irreversibilidade das nacionalizações nem foi má ideia...

 
Às 20 agosto, 2005 13:15 , Blogger Pedro Sá disse...

Estás louco ? Querias aquelas empresas para quê ?

 
Às 20 agosto, 2005 14:50 , Blogger Mario Garcia disse...

As nacionalizações e o consequente peso que o Estado ganhou na economia surgiram na fase em que o Estado Social foi criado em Portugal.
(E num período que o 'capital' tinha fugido do País...)

O processo de privatizações iniciado por... Cavaco Silva, consistiu na venda pelo Estado das empresas públicas rentáveis - aquelas que, com todos os defeitos que lhes apontavam, geravam riqueza para o Estado.
Hoje, olhamos para o défice do OE, e para a insustentabilidade da SS e da CGA.

Já que é hoje politicamente correcto criticar o processo de nacionalizações, talvez se devesse também olhar para o processo de privatizações e a responsabilidade do putativo candidato presidencial da direita nesta matéria.

 
Às 21 agosto, 2005 18:37 , Anonymous Anónimo disse...

Em relação ao Joao Soares foi ainda mais grave. Apos ter dito que não avançava fez i anuncio da candidatura, quase em segredo, na AR duas horas antes da apresentação da candidatura do Joao Soares, que era candidato há seis meses e que tinha o anuncio marcado há 15 dias. Ca se fazem....

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial