segunda-feira, agosto 25, 2003

Considerações sobre discotecas

Um ex-segurança diz ao PÚBLICO que "Não se pode ter uma discoteca só com homens, senão podem gerar-se confusões. A existência de raparigas equilibra o ambiente".

Já todos ouvimos considerações das mais infelizes. Mas como esta é difícil. Aliás, entre outras coisas consegue estar a discriminar homens e mulheres ao mesmo tempo !

Pois bem, em primeiro lugar parece partir do princípio de que a noite e as discotecas são território masculino, no qual as mulheres só têm lugar para "equilibrar o ambiente" e não muito mais.
Depois, certamente considera que os homens são por natureza energúmenos e brutamontes só à procura de arranjar confusão. Fora ser um perfeito disparate, é absolutamente contraditório. Todos sabemos de histórias de confusões em discotecas porque A tentou seduzir B, namorada de C.

Outra coisa completamente diferente é o que muitos dos frequentadores pensam sobre o assunto. Já ouvi a alguns dizer "Uma discoteca sem mulheres tem mau ambiente" ! Nada que me espante neste Portugal onde a autodiscriminação masculina é um facto quase do foro psiquiátrico e onde muitos ficam felizes por ir a algum lado "ver gajas".
O que apenas merece um comentário. Ver ? De que interessa ver ? Resultados práticos ?

Mas enfim, de quem só quer andar nas discotecas da moda porque "Só aí há bom ambiente" e lá estão "As gajas boas" não é de esperar outra coisa que não seja ser absolutamente impressionável com roupas, wonderbras, pinturas e outros acessórios afins.
Ou que diga que o que está dentro da cabeça de alguém de nada interessa, se o único objectivo for sexo. Pergunto-me eu como é que alguém pode continuar a ter o mínimo interesse por alguém quando conversar com esse alguém demonstra quão desinteressante e/ou acéfala é.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial