quarta-feira, março 26, 2008

Aterrado

Com este post.

Nunca consegui perceber por que razão é possível homologar, para circulação viária, automóveis com uma velocidade de ponta superior à legalmente permitida. Ou melhor, nunca consegui perceber as boas razões para tal. As más são fáceis de entender: a velocidade de um automóvel constitui valor simbólico que o fabricante do dito usa na sua promoção.

3. Limitar a velocidade dos automóveis de acordo com os limites legais de velocidade seria uma boa ideia, pois facilitaria o cumprimento dos objectivos procurados com a definição de tais limites. Permitiria ainda libertar os efectivos policiais do controlo dos excessos de velocidade e usá-los no controlo da condução perigosa (que pode ser lenta). Finalmente, constituiria um contributo importante para a redução das emissões poluentes em que o tráfego automóvel é campeão
.

Isto é de doidos. Para além dos problemas enormes com congestionamentos que tal medida iria trazer nas auto-estradas (Rui Pena Pires precisa de aprender umas coisas sobre fluxos de tráfego), os perigos ao nível da segurança são vários, designadamente porque uma aceleração pode também evitar acidentes...

2 Comentários:

Às 26 março, 2008 10:21 , Anonymous Anónimo disse...

Correcção: uma aceleração é uma variação de velocidade, podendo a aceleração ser negativa correspondendo a uma diminuição da velocidade.

Logo um carro que responda rapidamente consegue atingir maiores aceleraçoes (variação da velocidade em ordem ao tempo).

Quanto ao post o exagero da situação reflecte bem a estupidez do legislador. Por um lado permite por outro reprime.

o que eu acho é que os limites de velocidade não estão adequados às vias que hoje temos bem como a própria segurança que os veículos apresentam.

 
Às 23 abril, 2008 01:34 , Blogger O Raio disse...

Eu adorava...

Semprei sonhei andar a 120km/h (velocidade máxima permitida) no Bairro Alto, em Lisboa...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial