quinta-feira, janeiro 22, 2004

Anacrónico

Já não basta a ridícula imposição de encerramento das grandes superfícies ao domingo, vem agora a Associação de Comerciantes do Porto exigir que a lei venha impor o encerramento de todo o comércio nesse mesmo dia.

Essa pretensão não merece sequer o nosso desprezo com o silêncio. Merece um rotundo NÃO ! E logo numa primeira análise encontro três motivos para que seja liminarmente rejeitada:

1. O Estado não tem mais nada que fazer do que andar a meter-se nos horários do comércio ? Cabe apenas e só aos proprietários de estabelecimentos comerciais decidirem qual o seu horário. Se esses comerciantes do Porto querem encerrar os seus estabelecimentos ao domingo, façam-no, não queiram é impedir quem os abre de o fazer.

2. Traria um aumento do desemprego, pois necessariamente perder-se-iam postos de trabalho.

3. Levaria a uma imposta e brutal alteração dos hábitos de vida por via legal. Os centros comerciais, maxime, são espaços onde as pessoas se deslocam para lazer. Ou considera a Sra. Laura Rodrigues que há formas de ocupar o tempo totalmente inofensivas de outrem que são ilegítimas só porque sim ? Ou deseja que toda a cidade se torne um absoluto deserto ?
Ou, pior ainda, considerando que a mesma diz que há figuras da Igreja envolvidas no processo, e que há uns tempos o Papa apelou, pateticamente, a que os jogos de futebol mudassem do domingo para o sábado porque esse deveria ser o "dia da família", será que temos aqui uma vontade de fechar as pessoas em casa nesse dia da semana ?

Portugal não é um bairro ultra-ortodoxo de Israel. E o domingo não é o Shabbat.






0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial