quarta-feira, outubro 18, 2006

Para quem tem dúvidas que a ridícula ocupação do Rivoli vem dos pseudointelectuais do Bloco, eis este "Manifesto"

«Amigo OCUPANTE de fora
Tu que sorris tão-só e passas, desaparecendo noutra multidão
Tu que ficaste a casa a tomar conta das horas que passam
Tu que te quedas a falar como se o mundo parasse à nossa porta
Tu que trazes a família a passear e todos aproveitam para um banho de luta
Tu que passas maçãs pelas grades e de paraíso nos alimentas
Tu que ainda não nos percebeste mas queres a todo o custo perceber
Tu que bebeste à nossa saúde e assim nos embriagaste à distância
Tu que tinhas a barriga maior que os olhos e a ofereceste para nos carregar
Tu a quem o trabalho humilha e nos deste tuas poucas horas de ócio
Tu que trouxeste a bandeira no bolso e a trocaste por duas horas de troca
Tu que nem tanto ao mar nem tanto à terra e agora somente tempestade
Tu que vento semeias e vento colhes para que o ar se respire
Tu que saíste aperaltada e voltaste desfeita como que acabada de nascer
Tu que vieste ao engano e voltaste mais verdadeiro
Tu que trouxeste as tuas sobras de esperança e eram um banquete
Tu que quiseste a noite branca e de manhã choravas por mais
Tu que em vale de lençóis nos concedeste vidas nunca vividasTu e tu e tu e tu e tu e tu e tu e tu e tu e tu e tu e tu
Ocupa a rua como nós ocupámos este nosso teatro
Pinta a manta e a macaca pinta a negro pinta o sete pinta-te a ti e aos outros
Canta para o mal espantar para acordar animar embalar protestar discordar
Toca o sino e a trompete toca tambor clarinete toca a caixa e troca o mundo
Dança a roda dança a salsa dança o tango dança a valsa baila gira salta pula
Faz figas e faz de conta faz a sério ou a brincar faz mais para o mundo mudar
Troca tintas troca passos troca cartas troca abraços troca cromos e heróis
E, pelo meio, vem até trocar umas ideias, impressões, sensações connosco
Até já, até sempre


Pseudo mais pseudo não há. Insuportável.

Tão insuportável como Rui Rio. Se tivesse um mínimo de bom senso já teria mandado a polícia tratar do assunto.

Mais insuportável ainda é a posição de Pedro Bacelar de Vasconcelos. Alguém que me habituei a respeitar pela sua acção enquanto Governador Civil de Braga tem o descaramento de dizer, a propósito das (frouxas) medidas de Rui Rio, que É incompreensível que uma autarquia lide desta forma com pessoas da cultura, com gente civilizada.

Ora, se não fossem pessoas da cultura e/ou gente civilizada já poderia lidar ? Que eu saiba a primeira e mais essencial condição de ser socialista é acreditar e fazer pela igualdade entre todas as pessoas. É de facto insuportável esta pretensa superioridade social dos artistas. Um nojo.

2 Comentários:

Às 25 outubro, 2006 15:53 , Anonymous pelta disse...

Há algum tempo que não passava aqui pelo blog e constato que estam mais ortodoxos na defesa do governo.
Parabéns!
É sempre bom ver alguém que se esforça por tentar explicar toda e qualquer medida.
Tendo em conta que quem tem alguma aspirações no PS (J. Coelho ou o eterno Vitorino) já se mostram pouco solidários...

 
Às 25 outubro, 2006 15:54 , Anonymous Randomblog disse...

Não sei porque carga de água, mas a assinatura do comentário anterior devia vir Randomblog e não Pelta(!!!)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial