quinta-feira, agosto 12, 2004

Inqualificável

Não quis até ao momento comentar a polémica sobre a Carta aos Bispos da Igreja Católica sobre a colaboração do homem e da mulher na Igreja e no Mundo.

Contudo, este artigo do Ministro Morais Sarmento suscita a minha mais profunda perplexidade, tendo em conta as seguintes afirmações:

- a maternidade marca tudo o que às mulheres diz respeito, e ela é tal forma determinante que condiciona tudo o mais à sua volta;

- a hora agora é outra, é a das mulheres capazes de conciliarem a vida familiar e a vida profissional.

Sobre isto tenho a dizer que:

- é verdadeiramente inqualificável como é que em pleno século XXI, um Ministro oriundo de um dos dois maiores partidos portugueses reduz e condiciona a mulher a tudo o que tenha a ver com a maternidade; a falta de respeito por todas as mulheres que por opção não desejam ter filhos é gritante...claro que daqui podemos ir mais longe e concluir que, apesar do que diz em contrário, NMS considera que o cerne das funções parentais relativas aos filhos pertence única e exclusivamente à mãe;

- toda essa mentalidade machista do Ministro revela-se na segunda passagem que escolhi: e onde é que está a hora dos HOMENS capazes de fazer essa mesma conciliação ? Essa barreira imposta aos homens quanto ao espaço privado é ultrapassada e não faz qualquer sentido ! A mentalidade do Ministro é facilmente visível: enquanto as mulheres devem conciliar ambos os espaços, não cabe aos homens qualquer compromisso nessa matéria, pois o seu lugar é na vida profissional e não na familiar.

Faça o que tem a fazer, Sr. Ministro. Em nome do respeito que as mulheres e os homens portugueses merecem, renuncie às suas funções de Ministro da tutela destas áreas.





0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial