quarta-feira, outubro 04, 2006

TRIIIIIIIM!

Começo o meu primeiro post no DESCREDITO por vos falar de um assunto importante que muitos julgam sobrevalorizado, outros subvalorizado e que eu considero simplesmente esquecido. Fá-lo-vos de ambiente.
Tirando meia dúzia de "personalidades" pagas a peso de ouro para não compreenderem o que é evidente para os demais, confundindo assim uns tantos, há um consenso muito generalizado no sentido de que o ambiente está a ser degradado e de que essa degradação poderá levar a médio prazo a toda uma série de consequências com as quais ninguém quer arcar. O ambiente é assim considerado já um tema importante, muito importante, simplesmente há outras prioridades da mesma forma que na Finlândia o tema das eleições pode ser a globalização, no Japão a privatização dos correios, em Portugal o défice, no Brasil a corrupção e no Burkina Faso ... bem ... nem deve haver eleições porque está tudo demasiado ocupado a sobreviver.
Assim o ambiente pode ser um tema empurrado para debaixo do tapete das nossas mentes (como quem diz: "depois tratamos disso"). Quem segue com algum interesse o que se passa na Justiça sabe que é mais ou menos o mesmo. Toda a gente diz que há um problema na Justiça, que isso é causa de muitos outros problemas e que mais tarde ou mais cedo vamos ter de tratar disso se não o Estado cai no ridículo.
Mas voltando ao ambiente. De vez em quando algum amigo mais esquisto, um documentário, uma notícia no jornal ou na televisão que nos lembram que o problema existe. E nessa altura até juraríamos a pés juntos que eramos capazes de passar a andar sempre de bicicleta, que iamos reciclar tudo, até os óleos, guardar todas as tampinhas, comprar lâmpadas novas, e já agora até entrar para o Yoga ou comer só salsa e aipo até ao fim dos nossos dias. Mas todos sabemos que no dia seguinte vai estar a chover e lá vamos nós no nosso carro.

Desta vez quem me voltou a acordar foi Al Gore e uma vez mais, como qualquer pessoa, estou com vontade de não atirar o despertador contra a parede, enrolar-me nos lençois para voltar a adormece.
Assim, achei que a melhor forma de não adormecer uma vez mais é tentar acordar os outros (nos escuteiros resulta). Por isso aqui vai:

ACORDEM!

P.S.:E podem também ir ver o filme "Uma verdade inconveniente" é divertido, informativo e alarmante ao mesmo tempo.

2 Comentários:

Às 04 outubro, 2006 13:22 , Blogger Gustavo "Che" Gouveia disse...

O desprezado ambiente, é a questão POLITICA mais importante da actualidade. Escrevo politica, porque a tenho a defenição de politica como a actividade que benefecia os outros, e o mundo em geral. Mas com a vantagem de que não há disputas internas, caciques e merdas que tal. É uma luta de todos os que a compreendem, e se a luta é ganha, todos ganhamos. o Mundo ganha.
E os importantes "politicos" dos queridos tugas, esquecem-se que dentro de alguns poucos anos, deixará de haver politica, ou economia ou se calhar a Terra como a conhecemos. Daí que a tenhemos de salvar.
"It's time to get political", diziam no citado filme. É tempo de disseminarmos a noção de que nos sobra pouco tempo e de que está tudo nas nossas mãos. Reduzam ao infimo os desperdicios e os gastos de carbono. Reciclem. E usem produtos reclclados. Organizem-se e participem em actividades de limpeza. Espalhem flyers, cartazes, conversem com os vososs amigos e familia. Escrevam ao parlamento. Se não vos ouvirem, candidatem-se ao parlamento. E já estou a citar o brilhante filme. Portanto http://climatecrisis.org ou então http://www.raiox-pub.pt/index-acv.html =)

 
Às 04 outubro, 2006 16:09 , Blogger Pedro Sá disse...

Preservação do ambiente não implica medidas radicais. Nestas matérias não há nada como optar sempre pelo mais elementar bom senso.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial